sexta-feira, 20 de junho de 2008

Uso do flash na fotografia

Os iniciantes na fotografia, em geral, costumam condenar as fotos tiradas com flash por apresentarem efeitos artificiais. Os mais experientes, ao contrário, não o dispensa, chegando inclusive a usá-lo de forma criativa, não deixando nenhuma pista ou evidência do emprego deste recurso, apresentando resultados fantásticos. Para esses, o uso do flash é imprescindível.As técnicas apresentadas são válidas, tanto para a fotografia analógica, como para a fotografia digital.

FLASH COMO LUZ PRINCIPAL
Flash como luz principal é quando a luz do flash é a principal fonte de iluminação; interiores mal iluminando, noite, etc. A exposição para esta luz é bastante simples; o TTL calcula a exposição tendo em conta a luz refletida pelo objeto.

FLASH DE PREENCHIMENTO
Também conhecido como Fill Flash é quando a luz do flash preenche as deficiências da luz principal. O flash de enchimento usa-se para "encher" as sombras provenientes da luz natural. Esse recurso é muito útil em dias ensolarados. O que pode acontecer nesses dias de sol forte, é o motivo a ser fotografado estar na sombra ou em contra-luz e são nessas situações que o uso do flash é bastante útil. É simples. Para iluminar as áreas sombreadas, dando um efeito natural, é bom usar o flash em potência baixa e com 1 ou 2 pontos a menos. Em dias nublados o uso do flash dá maior saturação às cores, valorizando mais a cena. Nas câmeras eletrônicas, basta colocar a máquina no modo automático total “P”, assim a luz natural e a luz do flash são equilibradas sem superexpor.

OLHOS VERMELHOS
Outro preconceito quanto ao uso do Flash é a produção de imagens com olhos vermelhos. Quando a luz do Flash atinge diretamente a pupila, normalmente as pessoas se encontram em local escuro. Nessas condições, a pupila está dilatada pela acomodação visual, fazendo com que a luz do Flash incida diretamente na retina reflctindo parte do sangue que ali se encontra. Dessa forma, o aparecimento dos olhos vermelhos nada mais é do que a reflexão da própria retina provocada pela dilatação da pupila em ambientes com deficiência de iluminação.
Aprenda como evitá-los.
1. Use o flash lateralmente, com cabo de sincronismo, isso vai mudar o ângulo de incidência de luz. (em caso de flash externo)
2. Peça a pessoa que não olhe diretamente para a câmara.
3. Use iluminação rebatida em teto ou superfície branca.
4. Acenda mais luzes no ambiente. Com isso a pupila vai se contrair, diminuindo a intensidade do reflexo avermelhado.

Praticamente todas as câmeras digitais hoje já vêm com o recurso especial para eliminar o "olho vermelho". Algumas consistem em promover dois disparos do Flash (ou mais), no momento em que o obturador é acionado. O primeiro, rapidíssimo, com menor carga, ocorre antes da exposição. Esse disparo tem um "timing" perfeito para que ocorra a contração da pupila, que normalmente está bem dilatada pela falta de iluminação ambiental.
No instante exato da contração máxima, a foto é realizada pelo segundo disparo do flash, o que torna quase impossível conseguir um ângulo que incida no fundo do olho, e reflita na direção do filme (bom na prática é assim, mas muitas câmeras apesar de ter o recurso, este não funciona muito bem).

3 comentários:

Anônimo disse...

boas vi agora o teu blog e axei muito fixe podes me ensinar mais alguns truques?responde para aqui leonel.custodio88@gmail.com

CICERO EUGENIO disse...

OLÁ, ADOREI O SEU BLOG, E FIQUEI MUITO FELIZ COM SEUS ENSINAMENTOS, MUITO BOM MESMO. COMPREI UMA D7000 RECENTEMENTE E TE CONFESSO QUE ESTAVA MEIO PERDIDO, POIS FAZIA MUITO TEMPO QUE EU NAO MAIS FOTOGRAFAVA. ESTÁ DE PARABÉNS.
MEU NOME É EUGENIO, MORO EM BRASÍLIA E MEU E-MAIL É EUGENIO7280@HOTMAIL.COM. FIQUE COM DEUS!!!

Mais Que Tudo disse...

Voce precisa assistir esse video que encontrei na internet dando dicar de fotografia que encontrei! o video é de janeiro de 2015! não sei ate quando vai ficar disponivel!
O link do video é esse aqui : http://goo.gl/vNG2rf
Fica a dica!